Associação dos Amigos da Marinha do Brasil em Portugal

O que fazemos

* Difundir conceitos doutrinários ou culturais relacionados com o desenvolvimento e progresso do Brasil, em particular no que diz respeito a assuntos do mar e vias navegáveis

* Proporcionar às entidades associadas atualização sobre assuntos do mar e vias navegáveis

* Estimular, no âmbito das comunidades, a implantação de uma mentalidade marítima

* Cooperar com entidades públicas e particulares na promoção de cursos, estudos, pesquisas e planejamento de interesse da Marinha, sem distinção de raça, cor, religião e posição político-partidária e,

* Manter intercâmbio com instituições nacionais ou estrangeiras, congêneres, culturais, de estudos e pesquisas sobre navegação, aproveitamento dos recursos do mar e águas interiores e desenvolvimento de sua tecnologia

Ler mais

A Mentalidade Marítima é a convicção individual ou coletiva, da importância do mar para uma nação.A vontade de agir de forma sustentável.As potencialidades do mar. Ler mais

As principais ameaças à biodiversidade marinha nacional são a pesca insustentável, a expansão de áreas urbanas e o turismo, além da poluição, redução dos recursos hídricos, e mudanças climáticas. Ler mais

A porção de mar correspondente a Amazónia Azul foi declarada território brasileiro em 1982, na Convenção das Nações Unidas sobre os direitos do mar. Ler mais

Marinha doBrasil SOAMAR Portugal

marinha-do-brasil-vector-logo

A Secretaria D’Estado dos Negócios da Marinha, criada em 28 de julho de 1736 pelo Rei de Portugal foi a origem da Marinha do Brasil. Hoje, bem equipada, no que tange à qualidade, a Marinha desempenha o papel reservado do Poder Naval em tempo de paz, funcionando como elemento dissuasor ao estabelecer um custo elevado a eventuais opções militares de adversários em potencial, respaldando a ação política do governo no campo das relações internacionais e mantendo-se atualizada, pronta a se expandir quando necessário. Ler mais

Os nossos Projectos

  • REGATA

    REGATA

    Na sua componente educacional, cada jovem deve estar sensibilizado para pensar e agir maritimamente se conhecer o mar.

    Na sua componente educacional, cada jovem deve estar sensibilizado para pensar e agir maritimamente se conhecer o mar.

    * Proporcionar aos jovens, de acôrdo com programa específico a estabelecer, o conhecimento do mar, distinguindo:

    a) Os que já tiveram contato fisico e visual com o mar mas que nunca navegaram ou nadaram;
    b) Aqueles que nunca tiveram esse mesmo contato.
    * O jovem aprender por si a:

    • Apoiar a sustentabilidade econômica, social, natural e cultural das comunidades costeiras, protegendo o seu patrimônio.
    • Viabilizar seu desenvolvimento através de sua melhor integração aos ambientes marinhos da Zona Costeira.
    • Desenvolver uma gestão integrada dos ambientes terrestres e marinhos, baseada numa melhor informação científica e tecnológica disponível, direcionada para as áreas produtivas, ambiental, cultural, artística e desportiva.
    • Ser um centro irradiador de boas práticas sustentáveis em desenvolvimento e turismo, contribuindo para o crescimento econômico da região e da comunidade.
    • Despertar o interesse pelos assuntos do mar, fomentando o desenvolvimento da “Mentalidade Marítima”.
    Ler mais

  • Museu Pedagógico Luso Brasileiro

    Museu Pedagógico Luso Brasileiro

    Constituir dentro da CPLP uma “Cidadania para a Defesa” nas camadas etárias jovens.

    Baseados em diversas áreas complementares e que permitem a interacção cultural e educacional para uma compreensão da tecnologia e realações Luso Brasileiras na área da infância e juventude, têm como prioridade:
    a) A subjacência no intercâmbio e relacionamento nos países da CPLP nas áreas de desenvolvimento cultural e educacional (complementar) da infância, juventude, docentes e discentes;
    b) Incidindência no despertar para a apetência do estudo da tecnologia;
    c) Integração dos jovens no conceito de interesses nacionais num amplo objetivo de correlacionação com as F.A. dos respetivos países, através do esclarecimento e conhecimento do papel que lhes compete em cada nação.
    d) Proporcionar atividades de conhecimento e lazer conducentes á sua integração social;
    e) Esclarecer as oportunidades e carreiras nas FA;
    f) Esclarecer e motivar para o binómio Tecnologia/Defesa;
    g) Proporcionar uma auto aprendizagem e concepção de projetos feitos em equipa com avaliação e/ou concurso entre si.
    Ler mais

Logo Associação Portos Portugal 1

Desejamos as maiores felicitadas à nova SOAMAR na sua missão de divulgação e desenvolvimento das atividades ligadas ao Mar, podendo Vossa Excelência contar com o apoio da APP neste desígnio. Vitor Caldeirinha – Presidente

Porto de Setubal 1

Cientes de que irão surgir oportunidades no futuro para incrementar o relacionamento luso-brasileiro somos a informar que o Conselho de Administração da APSS, SA aceita, com muito gosto, o convite para Membro Honorífico da vossa associação.

Matosinhos 1

Sendo Matosinhos um concelho de olhos virados e com uma forte ligação ao mar, esta ligação á SOAMAR Portugal parece – me estar revestida de mais-valias e grandes potencialidades. Guilherme Pinto – Presidente da Câmara Municipal

Vila do Conde 1

Os fins estatutários estão consonates com a nossa estratégia de desenvolvimento das múltiplas potencialidades do nosso Município. Dra. Elisa Ferraz – Presidente da Câmara Municipal

Vila Verde 1

Sendo Portugal um país com uma enorme tradição marítima estas iniciativas são uma mais valia para que o país possa fazer um maior aproveitamento de todos os recursos que o mar nos oferece. Dr. António Fernando Nogueira Cerqueira Vilela – Presidente da Câmara Municipal